Fim de semana grande em Faro

Ir ao Algarve em agosto é uma evidência mas fora de época a viagem tem outro sabor.

Já sabe o que vai fazer no fim de semana grande que se avizinha? Eu já marquei encontro com o melhor peixe fresco e estou pronta para uns dias de diversão em família.

E para lá chegar ainda aproveito as viagens Lisboa-Faro em Alfa Pendular a 8 €, com o desconto do Bilhete Promo, depois estou na dúvida entre o barlavento ou o sotavento Algarvio, mas qualquer que seja o destino, a paisagem nos comboios Regionais do Algarve, é já de férias.

Das praias aos parques temáticos, da gastronomia à animação noturna, Albufeira reúne todos os trunfos do Algarve: a praia, o sol e o clima ameno durante quase todo o ano e escolhas alargadas em matéria de bares, restaurantes, hotéis e discotecas. As praias, essas lá continuam, às vezes à distância de uma pequena caminhada, desde a zona mais ocidental (Olhos d’Água, Balaia e Maria Luísa) à zona oriental (Galé e Salgados). Escolha a praia que mais gosta e depois opte por um aldeamento recatado, não muito longe da praia, ou um hotel central a dois passos da animação e da «movida» a começar, claro está, pela famosa «rua dos bares» em pleno centro de Albufeira.

Escusado será dizer que a gastronomia algarvia está aqui bem representada, não faltando os peixes e mariscos que fizeram a fama da restauração local.

Lagos tem uma localização excecional na foz da ribeira de Bensafrim, uma marina cheia de lojas e esplanadas e um centro histórico bem preservado que, noite e dia, é animado pela presença de gente de todo o mundo. O turismo não tem que ser inimigo da cultura nem do património e a prova de que assim é está em Lagos, bonita cidade algarvia que consegue conciliar a vocação turística e cosmopolita com um centro histórico e um património bem cuidados.

Chegado à estação de Lagos, pode atravessar a marina a pé, eventualmente deixando-se tentar por uma das muitas esplanadas e depressa estará na marginal da cidade (Av. Dos Descobrimentos) e junto ao centro histórico.

Em Lagos tudo está à distância de uma caminhada, bem precisa, após uma paragem calórica para provar os D. Rodrigos, perdição dos gulosos de todas as nacionalidades.

Não obstante a riqueza do seu património, Lagos é tudo menos um museu sem gente. As ruas fervilham de vida e entre o Largo de Camões e a Igreja de Santo António, não faltam «capelinhas» para parar e tomar uma bebida. Praia não falta, seja para oeste (o maravilhoso areal da Meia Praia), seja para leste (neste caso com uma costas mais alcantilada e praias mais pequenas).

Portimão - uma cidade acolhedora, à beira-mar.

Portimão passou de terra de pescadores a cidade moderna, vocacionada para o turismo. A animação de rua é garantida e as praias das redondezas são encantadoras, a começar pela famosa Praia da Rocha. À sua espera encontra uma cidade que nestes últimos tempos se revalorizou do ponto de vista turístico, juntando aos seus trunfos tradicionais (a praia), uma extensa frente ribeirinha ao longo do rio Arade, cheia de esplanadas e espaços de lazer.

A água transparente, o céu quase sempre limpo, a temperatura mais que amena e boas infraestruturas hoteleiras são a receita do sucesso de Portimão. O património tem sido revalorizado nestes últimos anos, sendo exemplo maior a Igreja Matriz ou de Nossa Senhora da Conceição. Depois, e porque já cheira a verão, vamos em busca de umas sardinhas assadas.

Concelho de transição entre a serra e o mar, Loulé é destino privilegiado para o ano inteiro. Que o digam os amantes do golfe que aqui têm mais de uma dezena de campos à sua disposição. As praias mais exclusivas da costa algarvia concentram-se na frente marítima de Loulé. As probabilidades de se cruzar com alguém famoso são elevadas. Mas se procura apenas sossego, não será difícil encontrá-lo nos areais de Vale de Lobo, Ancão ou Garrão.

As incursões pelo interior serrano (o Barrocal) revelam aldeias bem preservadas, como Alte e Querença, e sítios classificados como a impressionante crista calcária da Rocha da Pena, visível a grande distância.

Entre o tradicional e o cosmopolita, as aldeias e os resorts, o turismo de qualidade floresce em Loulé, proporcionando uma diversidade de experiências, ambientes e eventos que se sucedem ao longo de todo o ano.

Construída em menos de dois anos por ordem do marquês de Pombal, Vila Real de Santo António foi fundada em 1774 e caracteriza-se pelo traçado geométrico da sua malha urbana, rodeada de rio e de mar.

Vendedores e artesãos pescadores povoam a zona ribeirinha da cidade com o Guadiana mesmo ao lado, a marinha acompanha a zona ribeirinha da “Vila”.

A cidade é ótima para passeios de bicicleta junto à zona ribeirinha e a praia nunca está longe. Há muitas por onde escolher e têm fama das melhores do país.

Acabe o dia com a riquíssima gastronomia local, como um delicioso arroz de lingueirão, por exemplo.

Se vai com crianças, tem múltiplas oportunidades para as entreter. A partir de meio de abril já há piscinas de tubos para se divertir com os miúdos e durante todo o ano tem outras possibilidades, como sejam os espetáculos de golfinhos do Zoomarine ou o Krazy World, o Museu da Cera dos Descobrimentos e muito mais. Escolhas não faltam.

Porque ficámos com vontade de continuar o passeio a Sul vamos já reservar lugar nas Rotas da Ria Formosa que se realizam todo o ano, exceto em julho e agosto, a partir de Lisboa e Pinhal Novo.  Um programa completo de visita ao centro histórico de Faro, com audioguia e ainda um passeio de barco pelos canais da Ria Formosa onde encontramos conservado, tudo o que fez a fama do Algarve: os sapais, os mais que centenários moinhos de maré, os pinhais ribeirinhos, para além de lagoas onde pode ver toda a espécie de aves.